01 março 2013

Dose dupla.

Ola, para esse fim de semana recomendo dois livros muito bons de John Boyne.
 O primeiro é  O Menino Do Pijama Listrado
Eu amei esse livro. Não se é possível alguém não chorar com uma história tão linda e triste como essa. John Boyne consegui dar um toque inocente e leve a uma época tão monstruosa como o holocausto, os personagens sendo crianças não entendiam completamente tudo o que acontecia e acho que foi isso que me fez desenvolver uma paixão por este livro. 
Tudo começa quando Bruno muda-se de sua casa em Berlim para uma região isolada, pois seu pai havia sido promovido pelo "Fúria". Sem amigos e morrendo de tédio, ele descobre uma cerca onde várias pessoas vestidas com pijamas listrados moram. Um dia explorando o local, ele encontra um garoto, seu nome é Shmuel e a partir dali se inicia uma linda amizade. 
Um judeu e um alemão, dois amigos, duas crianças que não entendem o mal que os rodeia. Componentes que prometem contar uma bela história. Ah, essa inocência da um aperto no coração. Sem dúvida esse livro ficara "marcado" como um dos melhores do tema, foi uma das histórias mais lindas que já li. Não há quem não cerre os dentes de raiva pela monstruosidade a qual os judeus foram submetidos.
O segundo livro é O Garoto no Convés
Se não fosse á escrita maravilhosa e deliciosa que só o John Boyne tem, eu nem imaginaria que em algum momento estava lendo algo do mesmo autor de O Menino do Pijama Listrado. Comparado a ele, está é uma história mais madura, sentimental e com uma pegada mais pesada. Me surpreende com a mudança dele e mesmo assim adorei!
Momento certo, hora certa, pessoa certa para um futuro incerto... É assim que se deu início a uma longa aventura marítima abordo do Bounty depois que um órfão, John Jacob Turnstile, de catorze anos faz uma tentativa fracassada de furtar um relógio de um fidalgo francês que o levou a optar entre o xadrez ou ser criado do capitão, escolhendo, assim, este que queria fugir na primeira oportunidade que lhe aparecesse.
Um garoto esperto, atrevido e, apesar de tudo, ingênuo e traumatizado, com suas experiências e mudanças vai percebendo o que ele era não tinha motivos de orgulho, e acaba resultando num ódio e raiva pela pessoa que lhe fez ser o que era, o sr. Lewis.
O que acontece na viagem de ida e volta é algo que nunca esquecerei. E, na minha opinião, a historia não poderia ter um final melhor.

Aproveitem as dica pro fim de semana e até a próxima dica.


Nenhum comentário:

Postar um comentário